Competitividade

Data Criação: 09/07/2014 | 00h00

Assuntos: Competitividade, Produtividade

Objetivo

Abrir uma discussão sobre a competitividade em nosso país.


Resumo

Meus Caros, Este é o primeiro artigo de nossa coluna no site da Micron-Ita. O objetivo deste espaço é de discutir assuntos atuais e analisar possíveis soluções através do compartilhamento de ideias. Iniciamos conversando sobre a Competitividade de nosso país. A atividade econômica está estagnada, a inflação aparentemente controlada continua sendo uma latente preocupação, nossos governantes focados no curtíssimo prazo sem um plano de crescimento, que deveria passar pelo investimento em infraestrutura e educação ao invés de ações que buscam o imediatismo eleitoral.


Conteúdo

Meus Caros, Este é o primeiro artigo de nossa coluna no site da Micron-Ita. O objetivo deste espaço é de discutir assuntos atuais e analisar possíveis soluções através do compartilhamento de ideias. Iniciamos conversando sobre a Competitividade de nosso país. A atividade econômica está estagnada, a inflação aparentemente controlada continua sendo uma latente preocupação, nossos governantes focados no curtíssimo prazo sem um plano de crescimento, que deveria passar pelo investimento em infraestrutura e educação ao invés de ações que buscam o imediatismo eleitoral. Qual o caminho a seguir é a pergunta que nos fazemos todos os dias. Dois fatores são primordiais para a nossa Competitividade Em primeiro lugar a Regulamentação, ou seja, a economia não pode depender de atividades informais que não geram impostos e benefícios para a toda a sociedade. Os impostos devem ter sua carga distribuída de maneira inteligente a fim de promover o desenvolvimento dos mercados e não inibir seu crescimento. As leis trabalhistas devem zelar pelo bem estar dos trabalhadores, mas não podem com isso ser burocráticas e colocar obstáculos para as empresas. Também a Produtividade é fundamental para alavancar e promover o crescimento econômico. Não se pode imaginar um país com baixa produtividade e, consequentemente, alto custo de produção, tentando ocupar uma posição de destaque no cenário mundial. Uma boa parte das empresas brasileiras são produtivas da “porta para dentro”, ou seja, elas buscam a excelência de suas operações, no entanto esbarram na falta de infraestrutura, a enorme e mal distribuída carga tributária e a excessiva burocracia que envolve todos os processos empresariais. Outras, principalmente as pequenas e medias empresas, além dos obstáculos criados pela inépcia governamental, carecem uma melhoria em suas operações para se tornarem mais produtivas. A Produtividade é baseada na excelência operacional de pequenas, médias e grandes empresas e este é o passo fundamental para que possamos ter um Brasil competitivo. Não vamos nos ater ao que deve ser feito para que possamos ter um país cuja a Regulamentação seja moderna e voltada para a competitividade e desenvolvimento. Porém, cabe uma análise sobre o que precisamos fazer para buscar constantemente a excelência em nossas operações industriais e melhorar sempre a Competitividade. Então, uma pergunta se faz necessária O que é fundamental para a busca da melhoria contínua em nossos processos empresariais? A resposta é o Gerenciamento do Conhecimento. Há tempos a educação formal substituiu a experiência e prática como fonte de aprendizado. A produtividade só é alcançada se formos capazes de executar nossos trabalhos baseados em conceitos e teorias. Ou seja, gradativamente Capital, Terra e Mão de Obra dão lugar ao Conhecimento como o principal meio de produção e, os trabalhadores manuais que fazem o que lhes mandam, abrem espaço a profissionais com alta autonomia, com disciplina e responsabilidade na execução de qualquer tarefa. Assim, é de se esperar que o profissional que desenvolve seu Conhecimento terá uma empregabilidade cada vez maior e um valor de mercado crescente, pois sua contribuição às empresas serão de alto valor. Se nós buscamos Produtividade e Competitividade, temos que contar com profissionais do Conhecimento. Porém, atualmente em nosso país vemos uma carência educacional que faz com que tenhamos uma escassez, cada vez maior, de técnicos em diversas áreas. Como então, encarrar esta dualidade, pois necessitamos de profissionais gabaritados e enfrentamos tal carência educacional A solução passa por uma ação de curto prazo, na qual os líderes empresariais devem criar organizações cujo foco seja o desenvolvimento e Gerenciamento do Conhecimento, pois eles são profissionais que devem buscar fontes do saber , internas e externas às suas empresas, em diversas áreas e difundi-las dentro de suas estruturas. A longo prazo, estes mesmos líderes através de Associações, Federações que representam seus setores devem interagir com as Universidades na busca do enriquecimento dos currículos de seus cursos para que atendam suas necessidades futuras com o objetivo de alcançar e aprimorar sempre a Produtividade e Competitividade. Isto será alcançado não somente com base na informação que tais centros do saber podem passar aos futuros profissionais, mas principalmente na formação com base no Conhecimento. Escrito por: Lairton Leonardi